20 C
Rio de Janeiro
segunda-feira, maio 27, 2024
Mais

    Milton Neves admite depressão após morte da esposa e revela golpe

    Date:

    Milton Neves, de 72 anos, dedicou 60 deles ao jornalismo esportivo, e em entrevista ao Globo Esporte, falou sobre a depressão após a morte da sua esposa, em 2020.

    Diretamente de sua mansão, em São Paulo, avaliada em cerca de R$ 80 milhões, o apresentador, que tem uma carreira de sucesso por grandes veículos de nível nacional afirmou que atualmente não tem condições psicológicas para seguir fazendo o que ama, que é trabalhar com esportes.

    ++ Confira o setlist que Madonna irá cantar no show em Copacabana

    “Tanta gente boa que me deu força, estou com uma depressão, psicologicamente estou muito abatido, mas já diminuiu um pouco. Mas eu não estou bem, não. Eu não vou estar bem até morrer. Mas essa dor vai diminuindo, eu vou fazer o quê? Foi uma surpresa. Eu vou falar uma coisa séria para você, a vida louca que eu tinha, eu que tinha que ter tido essa porcaria [câncer no peritônio], não ela [esposa] com a vida regrada, nadava, uma mãe espetacular. Concebeu os meus três filhos, alimentou, orientou, educou, trabalhou, tudo ela fez por eles, sendo que eu só trabalhava. E eu me arrependo porque ficava pouco com ela”, afirmou.

    Também empresário no ramo imobiliário, pecuarista, cafeicultor e tendo atuado no mercado da publicidade, Milton Neves contou ainda que sofreu um golpe milionário de um dos seus ex-funcionários. Em outros momentos, o jornalista mencionou que o prejuízo é de mais de R$ 17 milhões.

    ++ Vaza áudio de Ana Hickmann com exigências para Alexandre Correa

    “A maior desgraça que apareceu na minha vida como empresário. Um sujeito inteligente, mas ele incorporou que era eu, tanto é que levou vários amigos para o Essex House [hotel] em Nova York, porque hoje eu tenho dois apartamentos lá. Mas antigamente não tinha nada, a primeira vez que eu fui para Nova York fiquei no Essex House, na cara do Central Park, fundo do Central Park. E ele resolveu ir. Foi a maior burrada que eu fiz na minha vida [contratá-lo]. É incalculável [o valor perdido], porque ele roubava todo dia e ele tinha minhas senhas todas, porque ele era o ‘bãozão’. Tinha muito dinheiro nesse banco, então obedeciam a ele. Mas o ladrão, desesperado, o negócio dele, ele chegava lá: ‘onde eu vou roubar hoje’, uma coisa assim na cabeça dele, imagina. Roubou muito”, explicou.

    Não deixe de curtir nossa página no Facebook e também no Instagram para mais notícias do JETSS.

    Mais Recentes