22.8 C
Rio de Janeiro
sexta-feira, julho 12, 2024
Mais

    Ana Hikari desabafa após ser chamada de ‘japonesa’ no trabalho

    Date:

    A atriz Ana Hikari, conhecida por seus papéis em “Malhação: Viva a Diferença” e “As Five”, utilizou as redes sociais para denunciar um episódio de racismo que vivenciou em seu local de trabalho durante a comemoração dos 116 anos da imigração japonesa no Brasil.

    ++ Anitta usa suas redes sociais para alertar os fãs sobre PEC

    “Hoje no trabalho, fui chamada de japonesa na empresa que trabalho há sete anos e onde todos sabem o meu nome. São 116 anos imigração japonesa, 116 anos que os primeiros japoneses chegaram no Brasil e escolheram esse país para ser seu novo lar. Tem mais de 100 anos que meus avós maternos se mudaram para o Brasil e se naturalizaram cidadãos brasileiros. Minha mãe nasceu aqui, ela é brasileira. Eu nasci aqui, sou brasileira”, começou ela.

    ++ Marcello Antony revela se abandonou carreira de ator para ser corretor

    A artista também contou que a família paterna não tem descendência asiática, mas mesmo assim parte da população não a considera brasileira. “Ainda assim, 116 anos dos meus antepassados receberem o direito de serem cidadãos em outro país, 29 anos depois de eu nascer brasileira, ainda sou obrigada a ouvir me chamarem de japonesa”, ponderou.

    A atriz contou que situações como essa já aconteceram outras vezes esse ano, e disse que ascendentes de asiáticos como ela “ainda são vistos e tratados como estrangeiros no próprio país.”

    “Numa empresa que trabalho há sete anos ainda tem gente que me chama pela ‘raça’ e não pelo nome. Até podia chamar pelo nome da minha personagem, que em uma gravação todo mundo sabe e está tudo certo, mas nem isso”, desabafou.

    “Chamar alguém de japa é só jogar os seus preconceitos sobre o que você imagina de uma ‘pessoa japonesa’ em cima de alguém amarelo e ignorar que ela também pode ser de origem chinesa, coreana, taiwanesa, etc. Você está basicamente ignorando a individualidade daquele pessoa, o nome dela, a origem dela, a nacionalidade dela, jogando ela num bolinho de gente que você imagina que ela é ou deve ser”, disse Ana.

    “Vou te contar um segredo: ignorar individualidade de alguém baseado em pré-conceitos pautados na raça também pode ser delicadamente chamado de racismo”, concluiu a atriz.

    Não deixe de curtir nossa página no Facebook e também no Instagram para mais notícias do JETSS.

    Mais Recentes